Coluna da Maiara: O amor da sua vida

Oi, gente! Hoje é segunda, uma semana novinha e pra começar com post novo!

image

O AMOR DA SUA VIDA

Desde crianças nos injetam a ideia, ou melhor, o sonho de encontrar um amor pra vida, o amor da nossa vida. Algumas meninas sonham desde pequena com isso (eu nunca fui uma delas).
A questão não é encontrar ou não alguém pra compartilhar a vida, porque eu acredito que uma união é isso: você dividir sua vida com alguém de modo que o resultado desse cálculo seja positivo.

Acontece que muitas pessoas fazem do relacionamento o ponto central ou até mesmo o único ponto da vida e o resultado acaba sendo frustração e sofrimento. Fico muito incomodada quando ouço uma mulher falando que não vai fazer tal coisa, como cortar o cabelo, por exemplo, porque o namorado ou marido “não deixa”. Como assim, não deixa?! Eu juro que penso que permissão a gente pede pros nossos pais, (quando somos dependentes deles), para realizar uma tarefa no trabalho que precise da autorização do chefe, para usar algo que seja de alguém que não seu.

Fico imaginando que tipo de relação é essa em que um se responsabiliza pelas atitudes e mais, pelo corpo do outro. Quantas mulheres deixam de fazer coisas por elas mesmas pela falta de aprovação do parceiro e eu sinceramente acho muito triste. Eu dei esse exemplo mas há vários outros (claro que pode acontecer com os homens também, só citei as mulheres porque é mais comum). Pessoas que se afastam da família e dos amigos, da carreira, dos sonhos, do seu modo de pensar e agir, da vida, em nome de um "amor”.

Não basta as pessoas que deixam de fazer as coisas por alguém já presente na vida, existem aquelas pessoas que abdicam seus desejos por quem ainda nem conhecem. Outro dia uma pessoa próxima me contou que uma mulher solteira não queria tirar habilitação e nem estudar porque os homens não gostam de mulheres independentes. A minha vontade era de sair correndo até a casa dessa fulana e dizer que ela não precisa, que ela não pode fazer isso.

Eu não tenho namorado e por muito tempo isso me impediu de fazer o que gostaria pela falta de companhia. Mas eu sempre tive vontade de fazer muitas coisas e conhecer lugares, então eu parei de esperar a chegada de alguém (que eu nem tenho certeza que vai acontecer) e comecei a fazer coisas por e para mim. Eu costumo chamar amigos para me acompanharem nas minhas atividades, mas nem sempre as pessoas podem e depender dos outros me irrita. Então eu comecei a sair sozinha: cinema, shows, trilhas, esportes, qualquer tipo de passeio. E vou dizer que todas as vezes são ótimas oportunidades para curtir comigo mesma, para pensar, para relaxar e até pra conhecer novas pessoas. 
Eu escuto coisas do tipo: “nossa, você é corajosa, eu não consigo fazer nada sozinho ”. E aí eu me questiono que tipo de pessoa nossa sociedade está criando, através dos romances hollywoodianos, dos contos da Disney, das novelas das 8. Pessoas que não conseguem curtir a si mesmas, absolutamente dependentes. 

E essa dependência é uma das razões que faz com que as pessoas entrem em relacionamentos nada saudáveis, que se subestimem e que acreditem que não merecem estar em condições melhores. Claro que cada um pode vivenciar isso por um determinado motivo, cada um tem sua história e não há aqui nenhum tipo de julgamento pelos seus comportamentos, principalmente se você acredita que estão certos e está feliz, é essa questão: estar feliz!

Será que alguém é realmente feliz quando seus sonhos e sua própria personalidade são jogados no lixo? Será que você pode doar tanto amor para alguém e esquecer de amar e respeitar você mesmo? Você pode ter ficante, namorado, marido ou estar solteira/esperando encontrar alguém. Eu vou te contar um segredo: você não precisa mais procurar, todos nós podemos encontrar nosso grande amor e a pessoa que vai nos fazer bem eternamente. Quando disseram que a gente, em um momento da vida encontraria o amor da nossa vida, esqueceram de nos avisar que para isto bastaria nos olharmos no espelho. 

O amor da sua vida é você! Ame-se!

Não importa se você não tem o corpo das revistas, se você não gosta do seu cabelo ou daquelas gordurinhas, se no seu guarda roupa nunca tem nada que te satisfaça. Não tem problema se as mulheres não gostam da sua “barriga de chopp”, se você é tímido ou não é muito engraçado. 

Você é um ser humano incrível, do jeito que é, tudo bem se você quiser mudar algumas coisas, mas saiba que você já é demais. Nunca existiu e nem existirá alguém exatamente como você, portanto, aprecie-se! O modo como você sorri, como trata seus amigos, a sua força de vontade, sua inteligência, os obstáculos que ultrapassou, tem tanta, tanta coisa legal em você! Se ainda não percebeu isto, não precisa fazer como eu e se aventurar sozinha por aí, mas reserve um tempinho do seu dia para se amar, pode ser no caminho do trabalho, depois de deixar as crianças na escola, no horário de almoço ou uns minutinhos antes de dormir. Pense em tudo que você já passou, tudo que já fez e tudo que você é. Tenho certeza que descobrirá coisas incríveis a seu respeito! E se não descobrir nada, talvez seja a hora de uma mãozinha. Procure um psicólogo, com certeza ele vai te ajudar! Faça algo por você! 

E quanto aos outros amores, depois que você descobrir o seu amor próprio, você pode amar ainda mais o seu companheiro, perceber que aquela pessoa não te valoriza como deveria ou se dar conta que encontrar alguém deixou de ser uma espera. Amar outra pessoa é maravilhoso, mas a gente só dá aquilo que tem, não é mesmo? 
Por hoje é isso!

Quer saber? 
Que se ame!!

 

image

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s